Perguntas frequentes

Metodologia

Existem professores(as) na Lumiar?

Sim, porém seu papel é diferente daquele desempenhado na maioria das escolas. Temos dois tipos de educadores(as) na Lumiar: tutor(a), principal responsável pela turma, e mestre(a), profissional convidado(a) para desenvolver projetos com os(as) estudantes.

Qual o papel dos(as) tutores(as)?

Tutores(as) são pedagogos(as) ou licenciados(as) e acompanham os(as) estudantes diariamente. São responsáveis por identificar, valorizar e validar os interesses dos(as) estudantes e da turma e garantir que as propostas estejam pedagogicamente adequadas para trabalhar as necessidades de aprendizagem individuais e coletivas. Os(as) estudantes permanecem com o(a) mesmo(a) tutor(a) por dois ou três anos. Isso faz com que ele(a) conheça cada estudante profundamente.

É também sua função trazer diferentes assuntos, aumentando o repertório dos(as) estudantes e estimulando-os(as) sempre a desenvolver novos interesses, realizar as articulações dos projetos com mestres(as), registrar e refletir sobre os percursos dos(as) estudantes e do grupo, acompanhar os projetos individuais, organizar Rodas com a turma e Leituras de Mundo, conduzir reuniões e realizar a comunicação com as famílias dos(as) estudantes.

Tutores(a) e mestres(as) trabalham juntos(as)?

Sim. Tutores(as) são mediadores(as) e gestores(as) do grupo, responsáveis por atuar ativamente na organização de todos os projetos em parceria com os(as) mestres(as), tendo acesso ao planejamento, registros e avaliações a todo tempo.

Como funciona a multietariedade na Lumiar?

Na metodologia Lumiar, os(as) estudantes são agrupados(as) em ciclos multietários. Eles(as) permanecem formalmente matriculados(as) nas séries equivalentes à sua idade como na organização da escola tradicional, mas frequentando seu ciclo Lumiar.

Educação Infantil:
I1: estudantes de até 2 anos
I2: estudantes de 2 a 4 anos
I3: estudantes de 4 a 6 anos

Ensino Fundamental I e II
F1: estudantes de 6 a 8 anos (1º a 3º ano)
F2: estudantes de 9 a 11 anos (4º a 6º ano)
F3: estudantes de 12 a 14 anos (7º a 9º ano)

Ensino Médio
M1: estudantes de 15 a 16 anos (1º e 2º anos)
M2: estudantes de 17 anos (3º ano)

E o que são “ciclos”? Como eles funcionam?

Os ciclos são os grupos fixos de referência, compostos por estudantes de idades próximas.

Os(as) estudantes que compõem esses grupos continuam formalmente vinculados(as) ao ano escolar equivalente à sua idade em termos legais, bem como nas documentações oficiais. A cada ano letivo, seguem pelos anos escolares seguintes, mesmo permanecendo nos ciclos por um período de até três anos. Desse modo, a cada ano letivo, os ciclos são compostos por diferentes estudantes.

Esses grupos fixos para o ano letivo vigente vão construindo sua identidade e seu ritmo de trabalho ao serem geridos de forma participativa por um(a) tutor(a). Assim, criam sua rotina, planejam e realizam projetos e outras modalidades organizativas do trabalho escolar, tendo um percurso próprio e único para cada ano transcorrido.

Cada ciclo tem sua estrutura e organização próprias, mas também são previstos momentos de encontro, troca e trabalho com outros ciclos, tanto com todos(as) os(as) seus(as) integrantes ao mesmo tempo quanto entre alguns(as) dos(as) integrantes de cada grupo. Ou seja, a multietariedade existe dentro dos ciclos e entre ciclos.

Projetos e currículo

A Lumiar segue o currículo proposto pelo MEC?

Sim. Como todas as escolas brasileiras, temos como parâmetro a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) para construir nosso currículo. Ele é composto por duas matrizes: uma de competências e habilidades e outra de conteúdos, que são trabalhadas juntas nos projetos e em outras práticas da escola. Além disso, o currículo na Lumiar não é linear, ou seja, não seguimos uma rota preestabelecida porque partimos sempre dos interesses e das necessidades pedagógicas dos(as) estudantes para planejar nossas ações educativas. A plataforma Mosaico possibilita o acompanhamento individual do percurso dos(as) estudantes, mapeando a trajetória de cada um(a) na cobertura do currículo completo.

Eu não entendi direito como funciona a ideia de trabalhar com projetos e habilidades. E os conteúdos?

Os projetos tratam de temas diversos e transversais, se conectando mais a produções autorais a serem realizadas, questões a serem respondidas e a habilidades a serem desenvolvidas do que a uma disciplina em si. Imagine que estudantes estão interessados em explorar questões políticas. A partir da discussão acerca de conceitos geográficos e históricos de diferentes locais selecionados, passam para um projeto cujo objetivo é a concepção autoral de um país. Para isso, irão não somente pesquisar e explorar conteúdos de Geografia (cartografia, fronteiras) e História (conflitos, costumes), mas também Língua Portuguesa (produção de texto, recursos estilísticos e argumentação) e Artes (elementos constitutivos das artes visuais, patrimônios culturais), uma vez que para criarem seu país, precisarão pensar em diversos elementos: língua, bandeira, localização, histórico, povo, cultura, entre outros. Além disso, são mobilizadas habilidades referentes à flexibilidade de pensamento, consciência global e colaboração, essenciais para a construção do senso crítico.

A escola busca incentivar que os projetos tenham propostas práticas e conectadas ao mundo real?

Com certeza! Existe um processo de escuta, negociação e mediação do(a) educador(a) com os(as) estudantes para que isso aconteça.

Tudo na Lumiar começa com o levantamento de interesses e necessidades individuais e do grupo. Diferentes atividades e conversas são realizadas para estruturar o que os(as) estudantes gostariam de aprender e o que precisam aprender/desenvolver de acordo com sua etapa de desenvolvimento.

Um exemplo do que ocorreu no Infantil 3 (4-6 anos) da Lumiar Pinheiros: as crianças disseram que gostariam de construir uma “máquina de salvar a natureza”. A tutora fez pesquisas para identificar questões ambientais relacionadas ao momento atual e apresentou esses temas aos(às) estudantes. Fazendo Leituras de Mundo e conversando sobre o assunto, eles(as) compreenderam que os seres humanos não estavam usando os recursos naturais apropriadamente. Assim, uma das conclusões do grupo foi que o uso da água poderia ser mais consciente, o que ajudaria a natureza. A partir dessa reflexão, a turma decidiu construir uma cisterna para a Lumiar Pinheiros e, para isso, contou com o apoio de um mestre muito especial, o Damião, responsável pela manutenção da escola.

Os(as) estudantes realizam vários projetos ao mesmo tempo? Como isso acontece?

Sim. A rotina dos grupos é composta por diversos projetos de diferentes temáticas, que levam em conta todas as áreas do conhecimento, e também os interesses e necessidades de aprendizagem dos(as) estudantes. Dessa forma, a cada trimestre, tuto- res(as) realizam esse levantamento, mestres(as) são chamados(as) e a organização é realizada considerando o seguinte parâmetro:

Ciclos do Infantil:
3-4 projetos

F1:
6-7 projetos

F2 e F3:
8-10 projetos

EM:
14-16 projetos

Vale dizer que, além dos projetos, também existem os Módulos, Oficinas, Leituras de Mundo, Rodas, comissões, momentos de leitura, períodos de estudo e projetos individuais, que vão compondo os momentos de estudo na Lumiar.

Como funciona a avaliação na Lumiar? Tem ou não tem prova?

A avaliação na Lumiar busca registrar as evidências de aprendizagem, do desenvolvimento de habilidades e da compreensão de conteúdos ao longo de todo o processo. Além da avaliação de tutores(as) e mestres(as), estudantes também realizam autoavaliações constantemente.

Podemos utilizar diferentes instrumentos de avaliação e eles serão escolhidos de acordo com aquilo que faça sentido dentro das propostas e da intencionalidade da avaliação, como relatórios, cartazes, fotografias, arquivos em áudio, debates, apresentações, entre outros.

Por exemplo, a criação de um podcast sobre determinado assunto pode ser um ótimo instrumento para avaliar se estudantes compreenderam as informações do projeto e, além disso, se conseguem se expressar oralmente, produzir um bom roteiro e ler com desenvoltura. A montagem de uma exposição demanda que estudantes entrem em contato com o que foi aprendido revisando e selecionando materiais, escrevendo textos e organizando a mostra, evidenciando não só a compreensão dos conteúdos estudados como o desenvolvimento de habilidades referentes ao gerenciamento de tarefas, expressividade e colaboração. Provas também são instrumentos de avaliação e entendemos que podem funcionar para avaliar determinados conteúdos e habilidades, por isso também podem ser utilizadas.

Participação das famílias

Como é a participação das famílias na Lumiar?

Entendemos que a relação entre escola e famílias deve ser de parceria, portanto, nos colocamos sempre à disposição para o diálogo. Ao longo do ano, os(as) responsáveis são convidados(as) a participar de reuniões individuais com o(a) tutor(a), e podem solicitá-las sempre que sentirem necessidade.

As famílias têm acesso e contato direto com os(as) educadores(as) e com a gestão para tratar de questões particulares do(a) estudante, e participam de reuniões coletivas, com os(as) demais responsáveis da comunidade, para discussão de questões mais gerais.

Além disso, incentivamos a participação das famílias na vida escolar dos(as) estudantes – em ações que garantam o acesso e o aproveitamento das práticas pedagógicas e em experiências sociais promovidas pela escola. Por isso, se desejarem, os(as) responsáveis podem contribuir compartilhando suas paixões, participando de comissões, realizando Leituras de Mundo e/ou se candidatando para serem mestres(as).

Como as famílias têm acesso ao que os(as) estudantes estão aprendendo?

As famílias têm acesso à rotina e aos projetos desenvolvidos por seus(as) filhos(as), tanto no período escolar atual quanto em períodos anteriores, por meio da plataforma Mosaico. Além disso, os(as) responsáveis também visualizam relatos produzidos por mestres(as) e tutores(as), bem como evidências de aprendizagem e avaliações.

Ao fim de um período escolar, as famílias têm acesso ao relatório de período. Esse documento contém o mosaico de seus(as) filhos(as), informações e avaliações de todos os projetos que elas desenvolveram, avaliações de habilidades do cotidiano e áreas do conhecimento e o relato final escrito pelo(a) tutor(a), com impressões e evidências de desenvolvimento dos(as) estudantes.

Tecnologia

Como é o uso das tecnologias digitais na escola?

Acreditamos que trabalhar com diferentes tipos de tecnologias é de extrema importância para conectar os(as) jovens com o presente e o futuro.

Nós utilizamos tecnologias digitais de maneiras que sejam significativas para os(as) estudantes e, de fato, agreguem em sua aprendizagem, ou seja, não apenas um uso pelo próprio uso. Há a preocupação e atenção com respeito a eventuais exageros de utilização – desafio para todos(as) na atualidade.

Estudantes a partir do F2 tem como material didático um tablet. Ele é utilizado como instrumento de pesquisa e registros, assim como facilita o acesso à plataforma Mosaico – estudantes a acessam diariamente para ver planejamentos, realizar Diários de Bordo e avaliações. Estudantes mais novos(as) também utilizam tecnologias digitais com moderação, não incentivando a tela desnecessariamente.